2014/11/28

O LIDE Angola, Grupo de Líderes Empresariais, realiza um debate com tema Crescimento Económico, Protecção Social e Combate à Pobreza





AngoNotícias

ANGOLA

«O LIDE Angola apresenta como tema do almoço-debate “Crescimento Económico, Protecção Social e Combate à Pobreza” devido os resultados recentes que apontam Angola numa posição privilegiada, a nível mundial, de combate à pobreza, cuja erradicação tem repercussão directa na protecção social, apesar dos desafios à vista para erradicação deste fenómeno que desestabiliza políticas sociais.

»Segundo o presidente-executivo do LIDE Angola, Filipe Lemos, há motivo suficiente para se alargar o debate sobre o combate à pobreza, um desafio que alcançando resultados mais satisfatórios, deverá proporcionar, ainda mais, boas políticas de protecção social aos angolanos.

»“O desafio de combate à pobreza deve ser generalizado, com o empresariado nacional a aproveitar as políticas do Executivo que facilitam o crescimento das empresas, cujo contributo visível pode ser o aumento da taxa de empregabilidade”, finalizou Filipe Lemos.

»O LIDE Angola é uma organização de empresários destinada a fortalecer o pensamento, relacionamento e princípios éticos de governação corporativa. Formado por líderes empresariais nacionais e internacionais, tem como missão promover a integração entre empresas, organizações e entidades privadas, por meio de programas de debates, fóruns de negócios, actividades de conteúdo, iniciativas de apoio à sustentabilidade e responsabilidade social. .../...»





2014/11/27

O primeiro-ministro chinês Li Keqiang quer criação de empregos e inovações via internet





China Radio International (CRI)
Luís Zhao, tradução
Luiz Tasso Neto, revisão

CHINA

«O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, se encontrou ontem (20) em Hangzhou com participantes chineses e estrangeiros da primeira Conferência Mundial da Internet.

»O CEO da Thomson Reuters, Jim Smith, o presidente executivo da Qualcomm, Paul Jacobs, o presidente executivo do Alibaba Group, Ma Yun, o CEO da Sina, Cao Guowei, e outros 70 representantes discursaram no encontro.

»Após ouvir as palavras dos empresários, o primeiro-ministro chinês apontou que o tema principal da primeira Conferência Mundial da Internet é “interligação e intercomunicação, compartilhamento e co-administração”, que tenta procurar abertura, cooperações e relações win-win. Li Keqiang disse que a internet é uma das maiores invenções do ser humano, que mudou o espaço, o tempo e as dimensões do pensamento das pessoas. Ele lembrou que após 20 anos de desenvolvimento, a China já se tornou uma grande potência da internet, que não só possui um grande mercado de consumo, mas também novas tecnologias, novos produtos, novas indústrias e novos módulos que criaram milhões de postos de emprego para os jovens chineses.

»Li Keqiang sublinhou que a internet é um ótimo instrumento para empreendimento e inovação, e também uma nova plataforma para a administração do governo chinês. Por isso a China dá muita atenção ao apoio ao desenvolvimento da internet.

»A primeira Conferência Mundial da Internet foi realizada entre os dias 19 e 21 deste mês em Wuzhen, província de Zhejiang, na China, com a participação de mais mil personalidades e especialistas do setor de informações, funcionários governamentais e representantes de organizações internacionais de todo o mundo.»



Imagem: spanish.peopledaily.com



2014/11/26

Oportunidades de financiamento para empresas





Correio do Minho
Vasco Teixeira

PORTUGAL

«Uma das prioridades centrais estabelecidas na Estratégia Europa 2020 consiste em facilitar o acesso das PME ao financiamento. Os novos instrumentos europeus e regionais de financiamento para o período 2014-2020 serão uma excelente oportunidade para apoiar as empresas e em particular para as PME.

»As oportunidades de financiamento para as empresas até 2020 serão muitas, mas é preciso saber aproveitá-las de forma eficiente e inteligente. O apoio está disponível diretamente ou através de programas geridos a nível nacional ou regional, como os fundos estruturais da União Europeia. Os fundos estruturais (Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional - FEDER e Fundo Social Europeu - FSE) são os principais instrumentos de financiamento comunitário a favor das PME, através dos vários programas temáticos e iniciativas comunitárias implementadas nas regiões.

»Os apoios não se limitam apenas ao financiamento. As empresas também podem beneficiar de uma série de medidas de assistência não financeira sob a forma de pro- gramas e de serviços de apoio às empresas.

»O Horizonte 2020 reúne todo o atual financiamento da União Europeia no domínio da Investigação e Inovação. Terá um orçamento para 2014-2020 de 79,4 mil milhões de euros. A Comissão Europeia assumiu o compromisso de garantir uma forte participação das PME no Horizonte 2020. O Horizonte 2020 será crucial para a garantia de ecossistemas de inovação capazes de alavancar o crescimento das regiões europeias. O Horizonte 2020 concentrará os recursos em três prioridades distintas que se reforçam mutuamente. Estas prioridades, correspondem às da Estratégia Europa 2020 e da União da Inovação, e são Excelência Científica, Liderança Industrial e Desafios Societais. [...]

»Para as PME inovadoras com elevada ambição de crescer, de se desenvolverem e internacionalizarem, e que desenvolvam I&D existe um programa inserido no Horizonte 2020: o “SME Instrument”, através do qual as PME se podem candidatar individualmente, numa primeira fase a 50 mil euros para explorar um conceito inovador com potencial global. Numa segunda fase, o valor de apoio ao desenvolvimento, validação e comercialização do seu produto ou processo poderá atingir 3 milhões de euros. .../...»





2014/11/25

Melhores condições, melhores empregos e crescimento





TVI24

PORTUGAL

«O comissário europeu Carlos Moedas afirmou esta quinta-feira que a manutenção do Estado Social depende da capacidade de investir em inovação, ciência e investigação porque isso irá trazer “melhores condições, melhores empregos e crescimento”.

»O comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação falava no 24.º congresso da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC), que termina esta qinta-feira em Lisboa.

»“A Europa está, sem dúvida, lentamente a sair de uma das maiores crises económicas da história recente, e precisamos também de alguma sorte, mas precisamos acima de tudo de inovação, investir em projetos na área do conhecimento e da ciência, precisamos de melhor ambiente para o investimento, é a única forma de manter o Estado Social”, afirmou Carlos Moedas. .../...»





2014/11/24

«Newsletter L&I» (n.º 31, 2014-11-24)



Familia desestruturada (Brasil)

Instituto Harpia Harpyia, Foz do Iguaçu e Itaipu Binacional: projeto da segurança alimentar e do o combate à violência na região da tríplice fronteira [web] [intro]

Projeto leva atendimento bucal de emergência a favela do Rio [web] [intro]

O governo trabalha em várias ações, como no combate às drogas, por exemplo, mas esquece que a base de todos os problemas é a desestruturação familiar [web] [intro]

Escolas de São Paulo estudam deixar de comemorar o tradicional Dia das Mães para celebrar o inovador Dia de quem cuida mim [web] [intro]



Periferia (Portugal, África lusófona)

Presidente da República desafia os jovens a assumirem-se como agentes da mudança e serem cada vez mais inovadores [web] [intro]

Jens Weidmann: Investimento público teria impacto "negligenciável" nos países periféricos [web] [intro]

Na cidade do Porto não temos um problema de localização ou de periferia mas de escala [web] [intro]

Projeto Regeneração Urbana - Um Novo Impulso em Viseu [web] [intro]



e-Health

La e-Health es una herramienta para afrontar los procesos asistenciales y mejorar los resultados clínicos y la eficiencia [web] [intro]

Nintendo apuesta por eHealth con aparato para medir sueño [web] [intro]

Microsoft presenta su pulsera inteligente y plataforma de eHealth [web] [intro]

Google completa su estrategia eHealth con Google Fit [web] [intro]



Numerique et papier

Parallèles Editions: Rencontre entre papier et numérique (Exposition) [web] [intro]

Le livre et la presse sous l'emprise du numérique, omniprésent [web] [intro]

La fin du journal? Informer et s’informer, du papier au numérique [web] [intro]

La presse africaine et la révolution du numérique [web] [intro]



Family innovation

Brandeis IBS announces creation of Hassenfeld Family Innovation Center [web] [intro]

SOFA 2014 Focuses on Family Farming and Innovation [web] [intro]

Innovation keeps Hatcher Dairy flowing [web] [intro]

The importance of sparking entrepreneurial spirit in family businesses [web] [intro]





Licencia Creative Commons Licencia Creative Commons
Atribución-NoComercial
4.0 Internacional








2014/11/21

Projeto Regeneração Urbana - Um Novo Impulso em Viseu





Porto Canal

PORTUGAL

«O vice-presidente da Confederação Empresarial de Portugal (CIP), Carlos Cardoso, explicou que o projeto 'Regeneração Urbana - Um Novo Impulso' foi desenhado para sensibilizar “toda a gente” para a importância que a regeneração urbana tem na dinamização da economia nacional, apoio à fileira da construção em Portugal e combate ao desemprego.

»“Foram escolhidas cinco cidades piloto - Viseu, Leiria, Braga, Vila Real e Beja - fora dos grandes centros, onde há edifícios com traços históricos, mas que foram sendo abandonados pela população que se desviou para a periferia. O desafio passa por ver na regeneração urbana uma oportunidade de negócio”, apontou.

»No seu entender, é preciso que também o setor privado arrisque e participe na regeneração de algum património, que possa vir a gerar riqueza.

»“Pode ser através do comércio ou trazendo novos habitantes para edifícios regenerados no centro histórico, criando um núcleo que volte a atrair pessoas. Saibamos nós agora escolher os mercados-alvo, como o mercado a que chamo da saudade, por exemplo [emigrantes de 3.ª e 4.ª geração]”, concluiu. .../...»





2014/11/20

Na cidade do Porto não temos um problema de localização ou de periferia mas de escala





JPN - Jornalismo Porto Net
Cláudia Aragão, Mafalda Miranda

PORTUGAL

«O que distingue a cidade invicta é “a iniciativa privada” e “as pessoas” que, segundo Filipe Araújo, são essenciais na criação desta nova identidade. A “nova vida da cidade”, afirma Tiago Guedes, passa também pela cultura e, em particular, pelo teatro. Este “não pode ser só para elites” e deve “ser mais democrático e de fácil acesso”. Afinal, a cidade do Porto “tem bons equipamentos” para a continuação do seu projeto de um “Teatro para todos”.

»Em relação às questões económicas, “o Porto sabe adaptar-se”, mas o verdadeiro problema é “a falta de afirmação” - até porque “as pessoas gostam de trabalhar e investir cá”, afirmou José Cardoso.

»O designer Eduardo Aires terminou a conversa com uma ideia metafórica de que “estamos a assistir a um alinhamento de estrelas”. O criador da nova marca da cidade reforçou ainda a importância de projetos que unam talentos, pois o Porto tem todos os ingredientes necessários ao sucesso, não sendo preciso importar nada. “O Porto define-se por si mesmo, é o Porto, ponto”, conclui.

»Então, o que faz falta à cidade? “Falta comunicação, falta mostrar que é possível fazer coisas no Porto”, defende Filipe Araújo. Já para o empresário da White Studio, “não temos um problema de localização ou de periferia mas de escala”. Na verdade, o que falta são projetos como o Porto Fashion Makers, que reúne todas as condições para um encontro de talentos citadinos. O Porto é uma “cidade criativa com capacidade de execução e tem de ser reconhecida internacionalmente”, complementa a organização. .../...»





2014/11/19

Jens Weidmann: Investimento público teria impacto "negligenciável" nos países periféricos





Jornal de Negócios
David Santiago

PORTUGAL

«O governador do banco central alemão respondeu aos que têm defendido que a Alemanha deve seguir uma política de estímulos económicos garantido que tal política acabaria por ser "negligenciável". Weidmann defende que "ter balanços equilibrados faz todo o sentido" para a Alemanha.

»O presidente do Bundesbank, Jens Weidmann, respondeu esta manhã em Riga, capital da Letónia, às várias vozes que têm solicitado que a Alemanha prossiga políticas de estímulo económico que ao aumentar o consumo interno permitam estimular as exportações dos restantes países da Zona Euro e assim apoiar a recuperação destas economias.

»"O impulso dos países periféricos devido ao investimento público seria (…) provavelmente negligenciável", referiu Weidmann, citado pelo The Guardian, no âmbito de um encontro de banqueiros centrais.

»Para o líder do Bundesbank, "com a economia a funcionar normalmente, a Alemanha não tem necessidade de estímulos", antes devendo concentrar a sua política na prossecução de "balanços equilibrados" o que "faz todo o sentido" para a maior economia do euro, no entender de Weidmann. .../...»





2014/11/18

Presidente da República desafia os jovens a assumirem-se como agentes da mudança e serem cada vez mais inovadores





Presidência da República de Cabo Verde

CABO VERDE

«Em muitos sectores, mesmo de estudiosos, suscita ainda alguma preocupação a grande concentração das empresas no sector de serviços. Essa preocupação avoluma-se um pouco mais quando se nota que a concentração é também geográfica (Santiago, Sal e Boavista), sobretudo com forte potencial para acentuar, ainda mais, as assimetrias de desenvolvimento existentes entre estes centros e os demais municípios/ilhas.

»Porque será isso? Porque é que as oportunidades oferecidas pela agricultura e pela indústria não têm atraído tais empreendedores? A criação de um sistema de incentivos para empresários que investem nos municípios e ilhas ditos periféricos bem como a criação de condições reais para que os seus serviços e produtos possam chegar aos centros de consumo em outros municípios ou ilhas pode ser uma via a explorar, pelas possibilidades qe abre aos jovens da chamada periferia de participar mais activamente no processo de desenvolvimento e a ter acesso a um rendimento, para si e para os seus.

»Por exemplo, no Mindelo e na Assomada, só para dar dois exemplos, há espaço suficiente para o desenvolvimento da indústria e um “capital” de criatividade e de vantagens comparativas que não foram, até ao momento, adequadamente explorados e orientados para a economia real. .../...»





2014/11/17

«Newsletter L&I» (n.º 30, 2014-11-17)



Innovar para... (Brasil)

Inovação para encantar consumidores [web] [intro]

Reinventar para competir [web] [intro]

Inovar para conseguir manter a fonte de renda da família [web] [intro]

Inovar para se manter e conquistar [web] [intro]



Espaço para inovar (Portugal, África lusófona)

Programa Mitra – Pólo de Inovação Social da Casa da Misericórdia: novo espaço para inovação social [web] [intro]

Ana Rita Clara: Change it [web] [intro]

Pedra sobre Pedra [web] [intro]

A lusofonia, um espaço de geração de valor na economia global [web] [intro]



Ideas grandes de emprendedores de todos los tamaños

Alpaca Fiesta 2014 deslumbrará [web] [intro]

Innovación gráfica para la protección de documentos patentada por el paraguayo Jorge Bernardes Brugada en México [web] [intro]

Marine Armor System, nominada por su innovación a los Lloyd's List Awards [web] [intro]

Frutos del segundo encuentro de emprendedores IncMty ITESM [web] [intro]



Rencontre avec l’innovation

Réseaux sociaux d’entreprise: les ministères développent des usages innovants [web] [intro]

La logique des sociétés capitalistes mondialisées est nécessairement celle de l’innovation permanente. Le progrès a un prix qu'il ne faut pas sous-estimer [web] [intro]

Rencontre avec Aviram Rozin: L’utopie, un moteur pour entreprendre? [web] [intro]

Industriels de l’agroalimentaire: osez l’international! [web] [intro]



Interaction and innovation

Innovation Dialogue: Partners′ Interaction Over Innovation Policy [web] [intro]

2015 AFBF Annual Convention and IDEAg Trade Show Features More Exhibits, Innovation and Interaction [web] [intro]

Harness Could Allow Dogs, Humans To Communicate [web] [intro]

A fascinating listening innovation [web] [intro]





Licencia Creative Commons Licencia Creative Commons
Atribución-NoComercial
4.0 Internacional








2014/11/14

A lusofonia, um espaço de geração de valor na economia global





Interesse Privado,
Acção Pública
António Figueiredo

PORTUGAL

«A ideia peregrina que Portugal e o Brasil podem ser parceiros equilibrados e a esperança desfeita de fazer do mundo da lusofonia um espaço de geração de valor na economia global deveriam reclamar da nossa parte uma visão mais crítica. Nunca consegui perceber por que razão os preços das telecomunicações e da economia digital em geral eram mais altos em Portugal, quando para uma economia menos desenvolvida sabemos que os serviços têm preços relativos mais baixos do que o observado em países mais desenvolvidos. O projeto da PT empresa global nunca conseguiu esclarecer esta profunda contradição que sugere a presença de elevadas rendas em torno dessa desconformidade de preços. Através de alguns contactos e conversas com amigos meus do INESC Porto, fui também compreendendo que a ambição de transformar a PT numa alavanca de investigação e inovação com intensificação do conhecimento nacional nesta área foi sucessivamente comprometida, entre outras razões pela aquisição de soluções chaves na mão sem quaisquer hipóteses de incorporação de conhecimento nacional. Mas ninguém me tira da ideia de que a localização da PT Inovação em Aveiro nunca foi bem deglutida pelo centro de poder da PT ao serviço de outras geografias. .../...»





2014/11/13

Pedra sobre Pedra





hrbuzz
João Pinto Coelho

PORTUGAL

«Desde muito jovem que os meus verões eram dedicados, em grande parte, a trabalhar em hotéis, discotecas e restaurantes. Durante este período, muitos foram os espaços por onde passei e, com melhor ou pior integração, lá fui sobrevivendo.

»Contudo, houve uma experiência que até hoje guardo como muito marcante.

»Em 2007, a cadeia de hotéis Tivoli faz uma parceria com o Nikki Beach. Quando começam a formar a Equipa que iria abrir este novo espaço em VIlamoura, que estaria à altura do Nikki Beach Marrakech, St. Tropez, Phuket ou qualquer outro do mundo, a minha primeira ideia foi: tenho de fazer parte! Coincidentemente, consigo agendar a entrevista na data de regresso de Erasmus.

»Fui selecionado e o meu pensamento, como o de grande parte da equipa, era que iríamos trabalhar para um espaço Top, com condições Top, mas qual não foi a nossa surpresa quando, na primeira reunião de equipa, nos apresentam um espaço por acabar... E que teria de abrir daí a poucos dias.

»Com esta notícia alguns colegas acabariam por desistir, mas eu, o Nuno, o João, o Patrick e muitos outros resolvemos arregaçar as mangas e pôr mãos à obra. Desde pintar, envernizar, carregar e montar, muitas foram as tarefas que com toda a dedicação realizámos.

»O que é certo, que quando o Nikki Beach Lake inaugura, aquele espaço, não deixando de pertencer ao Tivoli e ao Nikki Beach, era também um pouco nosso e foi esse sentimento de pertença e a vontade de fazer mais por algo com que nos identificávamos e nos revíamos, que fez com que nunca deitássemos os braços abaixo e procurássemos fazer sempre mais e transmitir aos clientes esta cultura de família e entrega, mostrando que neste espaço poderiam encontrar muito mais do que um restaurante.

»Só posso agradecer ao Vincenzo, um italiano convertido a um modelo de gestão muito americanizado, que conseguiu levar a bom porto o primeiro ano de Nikki Beach, em Portugal.»





2014/11/12

Ana Rita Clara: Change it





briefing

PORTUGAL

«A apresentadora de televisão Ana Rita Clara tem um novo projeto. Chama-se Change it e promete “agitar consciências”. Assume a forma de encontros criativos, que pretendem ser espaço de conhecimento, inovação e inspiração.

»Estes encontros, que têm lugar marcado à volta de uma mesa de pequeno-almoço, vão viver — diz a apresentadora — de personalidades que estão, dia após dia, a mudar o seu próprio mundo e o dos outros.

»Pretendem transformar as visões atuais e criar uma nova comunidade de pensadoras, com Ana Rita Clara a propor-se aproximar as mentes do momento e aqueles que procuram novos modelos de pensamento.

»Haverá convidados com quem partilhar ideias e espaço para delinear novas estratégias empresariais e de vida, para apresentar novos projetos e estabelecer parcerias.»





2014/11/11

Programa Mitra – Pólo de Inovação Social da Casa da Misericórdia: novo espaço para inovação social





Smart Cities
Patricia Silva

PORTUGAL

«A Santa Casa da Misericórdia vai poder desenvolver o Programa Mitra – Pólo de Inovação Social, depois da celebração, com a Câmara Municipal de Lisboa, da escritura de transmissão dos terrenos e construções da Mitra, agendada para esta manhã.

»Esta cedência vai permitir à Misericórdia utilizar o espaço para o desenvolvimento deste pólo de inovação social. O projecto, que custará cerca de cinco milhões de euros, destina-se a pessoas com dificuldades de integração na sociedade, como sem-abrigo. Habitação assistida, emprego protegido, apoio na saúde ou respostas à demência estão entre as acções previstas, onde cerca de 500 pessoas serão apoiadas de forma directa e indirecta, segundo a Misericórdia.

»A Câmara Municipal de Lisboa será, de resto, um dos participantes activos do Programa Mitra – Pólo de Inovação Social.

»A autarquia tem vindo a apostar no combate à pobreza e à desigualdade, nos últimos anos, nomeadamente através do desenvolvimento de um trabalho em rede para a construção de uma cidade mais inclusiva.»





2014/11/10

«Newsletter L&I» (n.º 29, 2014-11-10)



Inovar (Brasil)

Inovar-Auto: Metalúrgicos do Brasil definem plano de ação para o setor automotivo [web] [intro]

ENAI 2014 debate agenda da indústria para os próximos quatro anos [web] [intro]

Catraca Livre: Melhor Comunicador Digital do Brasil [web] [intro]

¿Ficar 30 anos na mesma empresa? Esqueça [web] [intro]



Inovar (Portugal, África lusófona)

Tradição são-tomense e inovação portuguesa no Salão do Chocolate em Paris [web] [intro]

Sociedade Portuguesa de Autores (SPA): Cooperação lusófona nos direitos de autor deve ser dinâmica [web] [intro]

Angola e 2º maior mercado das exportações escocesas [web] [intro]

Vocês formaram-se para uma profissão que tem cada vez maior reconhecimento social e onde é importante ser criativo e inovar, por isso apostem na formação ao longo da vida [web] [intro]



Innovar

¿Por qué tantas empresas grandes son malas innovando? [web] [intro]

Prefiero innovar a comprarme un Porsche. En Europa todo son egos; EE UU es distinto [web] [intro]

Innovar es entender lo que la gente quiere [web] [intro]

¿Hay espacio para innovar en el sector del turismo online? [web] [intro]



Innover

Innover pour combattre la faim [web] [intro]

L’autodiagnostic de l’innovation par le numérique de le CEFRIO [web] [intro]

Innover pour la biodiversité [web] [intro]

La Réunion doit montrer sa capacité à innover [web] [intro]



Innovating

Our innovation system needs innovating [web] [intro]

Facebook has chosen to stop some experiments [web] [intro]

Don't Be Afraid of the Dark [web] [intro]

Yummy chocolates are giving traditional sweets quite some competition this Diwali [web] [intro]





Licencia Creative Commons Licencia Creative Commons
Atribución-NoComercial
4.0 Internacional








2014/11/07

Vocês formaram-se para uma profissão que tem cada vez maior reconhecimento social e onde é importante ser criativo e inovar, por isso apostem na formação ao longo da vida





Correio do Minho
Marlene Cerqueira

PORTUGAL

«Estes onze técnicos frequentaram o terceiro curso de Cozinha e Pastelaria que a ACB promove e que já terminaram. “Estes são cursos com elevada empregabilidade. Não são fáceis porque exigem muito dos formandos, mas compensam pelo facto de que quase todos já tem trabalho garantido, o que é muito importante nos tempos que correm”, realçou Joana Marinho, referindo que os empresários estão cada vez mais sensibilizados para contratarem mão-de-obra qualificada.

»“Estou muito orgulhosa de todos. Eles entraram aqui uns meninos e saem uns homens”, rematou a coordenadora.

»Financiados pelo IEFP, estes cursos representaram para alguns destes jovens uma oportunidade para terminar o ensino secundário quando o ensino corrente não lhes deu resposta. Para outros representou a descoberta de uma vocação, enquanto que também há casos de quem entrou no cursos precisamente para aprofundar a vocação pela cozinha ou pastelaria.

»Neste almoço de homenagem, os 11 formandos receberam também os parabéns do presidente da ACB, Domingos Macedo Barbosa, que os incentivou a continuarem o investimento na formação.

»“Vocês estão numa área onde é importante ser criativo e inovar, por isso apostem na formação ao longo da vida”, desafiou o presidente da ACB. .../...»





2014/11/06

Angola e 2º maior mercado das exportações escocesas





AngoNotícias

ANGOLA

«Angola é, depois dos Estados Unidos, o segundo maior mercado das exportações escocesas de serviços do sector de petróleo e gás, afirmou ao Jornal de Angola representante da Agência Escocesa de Desenvolvimento e Investimento em África.

»Gary Soper declarou que “isso significa um volume de negócios no sector na ordem de 10 por cento do total exportado” ou vendas de dois mil milhões de dólares (200 mil milhões de kwanzas) neste momento.

»Na semana passada, uma primeira missão de empresários da Escócia do sector de petróleo e gás, constituída por oito empresas, terminou uma visita exploratória a Angola destinada a criar negócios entre os dois países. “Temos certeza que as empresas escocesas podem fortalecer a prestação de serviços petrolíferos no mercado angolano”, afirmou.

»O representante da Agência Escocesa de Desenvolvimento e Investimento referiu que o objectivo principal destas empresas é fortalecer as relações que possuem no mercado, criar relações e parcerias e as que já estão em Angola reforçarem a presença. “A ideia das que estabelecem agora parcerias é conhecerem o mercado e estudarem como podem constituir a parceria com empresas e instituições importantes em Angola”, sublinhou. .../...»





2014/11/05

Sociedade Portuguesa de Autores (SPA): Cooperação lusófona nos direitos de autor deve ser dinâmica





SAPO Banda

ANGOLA

«A cooperação no âmbito do direito de autor entre os países lusófonos deve ser convergente e dinâmica, sendo um trabalho conjunto para o futuro, defendeu hoje o presidente da Sociedade Portuguesa de Autores (SPA).

»“A cooperação (entre os países lusófonos) deve ser realizada com tudo que há de inovador e não apenas o lugar-comum.

»Aquilo que nós pretendemos é que o termo cooperação seja uma plataforma comum, de trabalho convergente e dinâmico para o futuro e não apenas um conceito parado no tempo”, disse à agência Lusa José Jorge Letria, presidente da direcção e do conselho de administração da SPA.

»O escritor e jornalista fez estas declarações à margem do “II Seminário Internacional Cultura, Direito de Autor, Lusofonia e o Futuro”, que decorre entre hoje e terça-feira na sede da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Lisboa. De acordo com o presidente da SPA, organizadora do evento, na CPLP as realidades referentes ao direito de autor são muito diversas.

»“Estamos a falar de países muito diferentes, que têm em comum a mesma língua, mas têm ordenamentos jurídicos muito diversos”, sublinhou, apontando "os casos da Guiné-Bissau e de São Tomé e Príncipe, em que o progresso próximo do direito do autor está dependente da evolução da situação política"."Em locais em que não há estabilidade democrática e tenta-se que esta exista, é preciso ganhar tempo até haver um ordenamento que permita o direito do autor”, referiu ainda. O jornalista ressalvou que há países em que o direito do autor está relativamente avançado, como no caso de Moçambique e Angola.

»“Nós lançámos em 2013 com o apoio da Organização Mundial da Propriedade Intelectual/OMPI-ONU, em Genebra, um projecto (no âmbito do direito de autor) que envolve numa primeira linha de intervenção a cooperação com Angola, Moçambique e Timor-Leste”, referiu Letria. De acordo com o presidente da SPA, o projecto foi aceite e está a se desenvolver este ano, tendo já realizado desenvolvimentos muito importantes em Angola, em Moçambique e Timor-Leste.

»O escritor citou um caso em Angola, da União Nacional de Artistas e Compositores (UNAC), cuja legitimação a SPA está a apoiar e que vai "permitir a coreógrafos, atores, músicos, escritores trabalharem num domínio em que os seus direitos de criadores não eram antes reconhecidos”, referiu. Na terça-feira será ainda assinado protocolos com as sociedades de autores de Moçambique (Sociedade Moçambicana de Autores/SOMAS) e de Cabo Verde (Sociedade de Autores de Cabo Verde SOCA).De acordo com José Jorge Letria, este protocolo vai alargar a cooperação para outro país lusófono, no caso, Cabo Verde.»





2014/11/04

Tradição são-tomense e inovação portuguesa no Salão do Chocolate em Paris





Diário de Notícias

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA

«São Tomé e Príncipe voltou a marcar presença, pelo vigésimo ano consecutivo, no Salão do Chocolate em Paris, que termina hoje, e que contou também com a estreia de uma marca portuguesa de chocolates de vinho.

»“É o vigésimo ano que estamos presentes em vinte anos de salão. São Tomé é o único país presente, sem interrupção, desde a primeira edição”, sublinhou o cônsul honorário de São Tomé e Príncipe em Marselha e responsável pelo stand são-tomense, Jean-Pierre Bensaïd, à Lusa.

»O balanço da participação “é muito positivo”, disse, e voltou a contar com a presença de artistas são-tomenses que já estiveram no salão, como o pintor Eduardo Malé e o duo Calema, composto pelos irmãos Fradique e António Mendes Ferreira.

»“De ano para ano começámos a ter mais público e o pessoal começou a adorar. Começámos a fazer todos os salões, em Paris, em Lyon e em Marselha.

»Este ano, lançámos o nosso primeiro álbum que se chama ‘Bomu Kêlê’ ou ‘Vamos acreditar’”, descreveu António Mendes Ferreira, depois de um miniconcerto que concentrou centenas de pessoas no palco principal do Salão do Chocolate. .../...»





2014/11/03

«Newsletter L&I» (n.º 28, 2014-11-03)



Despoluir oceanos, mares e rios (Brasil)

Enterrados vivos: a saga dos rios de Pinheiros [web] [intro]

Brasileiros integrantes de projeto de despoluição dos oceanos fazem palestra na XVI FIMAI [web] [intro]

O sonho olímpico de despoluir a Baía de Guanabara [web] [intro]

Minas Gerais: Rio São Francisco passou de atração a canal de esgoto [web] [intro]



Incubadora de empresas (Portugal, África lusófona)

Agência Espacial Europeia lança incubadora de empresas em Portugal [web] [intro]

O sonho americano em Portugal [web] [intro]

Artesanato e queijo de Penela vão beneficiar da inovação tecnológica [web] [intro]

INOVA Startup Proença [web] [intro]



Los grandes innovadores

Destaca Oppenheimer en libro a innovadores de América Latina [web] [intro]

Los grandes innovadores no son lobos solitarios [web] [intro]

Los dos grandes innovadores de los últimos 30 años: Elon Musk, ¿el nuevo Steve Jobs de Wall Street? [web] [intro]

Michael Schrage: «Una empresa no innova porque no tiene talento para hacerlo» [web] [intro]



Transition au numérique

Le kiosque numérique de Blendle séduit Axel Springer et le New York Times [web] [intro]

L’industrie du câble en France compte sur les transitions numérique et énergétique pour se relancer [web] [intro]

Une école créative et juste dans un monde numérique [web] [intro]

Télévision numérique terrestre: le Cameroun ne sera pas prêt d’ici juin 2015 [web] [intro]



Social change

Laboratory for Social Machines (LSM): Building systems solutions for social change [web] [intro]

The chocolate that is creating social change [web] [intro]

Pulitzer Prize–winning journalist Clarence Page publishes his perspectives on the politics of race and social issues: «We tolerate too much inequality in this country,» he said [web] [intro]

Collective force for social change [web] [intro]





Licencia Creative Commons Licencia Creative Commons
Atribución-NoComercial
4.0 Internacional