2014/02/28

«Validade e fidelidade da versão portuguesa reduzida do web based learning environment inventory»



Angelo Jesus, Maria João Gomes, Agostinho Cunha y
Agostinho Cruz
«Validade e fidelidade da versão portuguesa reduzida do web based learning environment inventory»
Revista Iberoamericana de Educación a Distancia (RIED), Vol. 17, Nº. 1, enero de 2014 (Loja. Ecuador)




Los cuatro autores de este artículo se han lanzado a crear la versión abreviada en portuguiés de la herramienta Web-Based Learning Environment Inventory (WEBLEI), destinada a medir el rendimiento de los alumnos en los entornos virtuales de aprendizaje y estas páginas constituyen su presentación y justificación.












2014/02/27

«Alunos portugueses recebem aula sobre empreendedorismo e inovação através de livros infantis»



«Alunos portugueses recebem aula sobre empreendedorismo e inovação através de livros infantis»
wort.lu (Luxemburgo. Luxemburgo)




Los diez niños alumnos del curso de Lengua y Cultura Portuguesa de la ciudad luxemburguesa de Dudelange han recibido la visita del escritor Narciso Moreira, autor de libros infantiles con el tema del emprendedorismo: O Senhor Empreendedorismo y Um Projeto e Meio Limão. El autor está en el país en busca de editor luxemburgués para sus obras y charló con los niños durante dos horas.












2014/02/26

«Ferramentas Web X.0 no Ensino-Aprendizagem»



Nuno Miguel Cardoso Peixoto, Sónia Rolland Sobral
«Ferramentas Web X.0 no Ensino-Aprendizagem»
Revista do Departamento Inovação, Ciência e Tecnologia (DICT), Nº. 2013 (Porto. Portugal)



Un nuevo artículo sobre el reto de adecuar las herramientas didácticas y pedagógicas al alumnado que en su vida cotidiana es partícipe de lo digital, en todo su ancho campo: hardware, móviles, redes sociales, etc. Los autores realizan una revisión bibliográfica a partir de la que confirman el afianzamiento de las herramientas 2.0 en la enseñanza-aprendizaje de Portugal y del mundo.












2014/02/25

«Mudança e inovação em educação: o compromisso dos professores»



Isolina Oliveira, Conceição Courela
«Mudança e inovação em educação: o compromisso dos professores»
Interacções, Vol. 9, Nº. 27, 2013. Monográfico «Investigar em Educação» (Lisboa. Portugal)



A partir de tres experiencias de innovación en el aula, que se describen en estas páginas, las autoras constatan que el desarrollo de la innovación enraíza en la práctica y en el compromiso con su trabajo por parte de los profesores, y nace de su disposición para innovar; disposición que comporta además la de aceptar la innovación de la propia innovación. Mayor carga de trabajo y una cierta soledad e incomprensión en los compañeros acompañan este camino. El diseño y el desarrollo de estas innovaciones han comportado los tres componentes de la innovación educativa determinados por Michael Fullan en Change forces. Probing the dephts of educational reform: la utilización de nuevos materiales o tecnologías, la aplicación de nuevas estrategias y la modificación de las creencias de los participantes en el proceso.












2014/02/24

Coleção de mensagens sobre inovação de 18 a 21 de fevereiro



Biodesign

Marija Bojovic, «Behind “Hy-Fi”: The Organic, Compostable Tower That Won MoMA PS1′s Young Architects Program 2014»

Jyoti Pande Lavakare, «How Stanford-India Biodesign's programme is revolutionizing medical device innovation»

Jason Torchinsky, «What The Hell Is That Ugly RV Thing At The Olympics?»

Claire O'Connell, «Bioinnovate puts the user at the centre of med-tech innovation»



Estigmergia de robots Termes Harvard

Josep Corbella, «Robots que no obedecen a nadie cooperan entre ellos»

Alejandro Serrano, «Harvard inventa un equipo autónomo de construcción robótico»

La Nación, «Las termitas inspiran a los robots del futuro»

Matías Benítez, «Robots “termitas” construyen castillos de forma autónoma»



Invention

Dominique Vian, «Innovation : attention à ne pas confondre avec “invention”»

Léonce Gamaï, «Beaune : créativité et innovation explosive à l’initiative d’Hervé Voirin»

Arnaud Lefebvre, «8 petits malheurs qui sont entrés dans l'histoire comme de brillantes inventions»

Thérèse Bouveret, «Inventive cultive les idées innovantes de la foule»



Produtividade

Antônio Teodoro, «Produtividade em baixa? Educação!»

Portogente, «Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC) inaugura institutos de Inovação e Tecnologia do Senai em Santa Caterina»

Anna Carolina Ro, «Ouça música e aumente sua produtividade»

Marco Prates, «Baixa produtividade do Brasil não é culpa da educação»



Sustentabilidade

Fátima Missionária, «Culturgest acolhe debate sobre cidades sustentáveis»

LOCAL.PT, «RNAE promove roadshow sobre Eficiência Energética e Sustentabilidade Ambiental no Setor Empresarial»

iOnline, «Rock In Rio Lisboa é o primeiro festival em Portugal com sustentabilidade certificada»

LOCAL.PT, «Famalicão quer integrar Rede de Cidades Inteligentes»





2014/02/21

«Famalicão quer integrar Rede de Cidades Inteligentes»



«Famalicão quer integrar Rede de Cidades Inteligentes»
LOCAL.PT (Queluz. Portugal )




Vamos a oír a menudo que tal o cual localidad ha solicitado unirse a la red de ciudades inteligentes de su país, como acaba de hacer Vila Nova de Famalicão, en Portugal. Los motivos, según refleja este artículo, son tan relevantes como agilizar procesos de innovación de tecnologías y soluciones de sostenibilidad medioambiental y energética que, con el tiempo, se han ido sumando a los iniciales objetivos de movilidad eléctrica con los que arrancó la red en Portugal.












2014/02/20

2014/02/19

«RNAE promove roadshow sobre Eficiência Energética e Sustentabilidade Ambiental no Setor Empresarial»



«RNAE promove roadshow sobre Eficiência Energética
e Sustentabilidade Ambiental no Setor Empresarial»

LOCAL.PT (Queluz. Portugal)



La Associação das Agências de Energia e Ambiente – Rede Nacional (RNAE) de Portugal comienza un road-show, de cinco workshops para empresarios sobre el tema sostenibilidad y empresa. Coimbra será el primer destino de esta acción formativa e impulsora de buenas prácticas para la eficiencia energética en el sector empresarial, detalla este artículo, que precisa además datos como las subvenciones europeas para el proyecto y las administraciones colaboradoras.












2014/02/18

«Culturgest acolhe debate sobre cidades sustentáveis»



«Culturgest acolhe debate sobre cidades sustentáveis»
Fátima Missionária (Fátima. Portugal)




El proyecto internacional Green Project Awards (GPA), promovido por los países lusófonos, ha encontrado una gran oportunidad de impulsar la sostenibilidad en el auge de los proyectos de ciudades inteligentes, las smart cities. Este artículo da noticia y detalles de una próxima conferencia sobre el tema organizada por el GPA en Lisboa.












2014/02/17

Coleção de mensagens sobre inovação de 11 a 14 de fevereiro



Alianza del Pacífico

Semana, «Las promesas de la VIII Cumbre del Pacífico»

América Economía, «Mercosur busca acelerar su integración con Alianza del Pacífico»

Andina (Agencia Peruana de Noticias), «Alianza del Pacífico es instrumento de inclusión social»

ICN Diario, «Santos: “La Alianza del Pacífico encendió el motor del desarrollo y la prosperidad en América Latina”»



Food Security

Munu Martin Luther, «Innovation can solve food security problems»

Zawya, «“Food security an immediate priority for GCC” says UAE Minister Of Water & Environment»

Pranjal Sharma, «Feeding Food Security»

EurActiv, «Milan's 2015 World Expo aims to spur food security debate»



Indústria

EBC (Empresa Brasil de Comunicação), «Indústria: bate-papo debate os rumos da inovação no Brasil»

Novo Jornal, «Angola e Brasil vão assinar acordo de cooperação industrial»

Átila Varela, «Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) elencou 42 competências para o desenvolvimento de projetos de inovação tecnológica»

Marcelo Roma, «Pesquisas finalizadas no Parque Tecnológico de Sorocaba rendem as primeiras patentes»



PME e mercado digital

Jornal Diario, «Criação do Programa PME Digital, incluído na Agenda Digital e Tecnológica dos Açores»

Programa Operacional Temático Factores de Competitividade (COMPETE), «Horizonte 2020 explicado às PME»

PME Digital, «A Internet é hoje parte integrante das nossas vidas»

Ana Margarida Pinheiro, «QREN: Quanto vale e como receber»



Secteur Public

Philippe Parmantier, «“Re/acteur public” un projet pour “booster” l'innovation territoriale»

Léonce Gamaï, «“Agenda 2063” : Le rêve de Dlamini Zuma pour l’Afrique dans cinquante ans»

Hakim Bahechar, «IBM inaugure un nouveau centre d’innovation au Maroc»

IIAS Knowledge Portal on Public Administration, «Innovation in the Public Sector – Interview of Mrs Françoise Waintrop»





2014/02/14

«QREN: Quanto vale e como receber»



Ana Margarida Pinheiro
«QREN: Quanto vale e como receber»
Dinheiro Vivo (Lisboa. Portugal)




Las ayudas europeas que Portugal va a recibir en el periodo 2014-2020 son el tema de este artículo divulgativo. La gran novedad que se destaca es el aumento de la partida para las Pymes, que será de 6.000 millones de euros. Las cuatro áreas a las que se destina el conjunto del QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional), y también dentro de las Pymes, son: competitividad, innovación e investigación, eficiencia energética y agenda digital.












2014/02/13

«A Internet é hoje parte integrante das nossas vidas»



«A Internet é hoje parte integrante das nossas vidas»
PME Digital (Lisboa. Portugal)




PME Digital es el portal oficial del programa del mismo nombre que desarrolla actualmente el Gobierno de Portugal a través de su Ministerio de Economía. De forma sencilla, pone al alcance de las pymes portuguesas las explicaciones sobre las ventajas, equivalentes a motivos, de entrar en la era digital, así como la ayuda que pueden encontrar para ello desde la Administración. El artículo corresponde a una de las principales páginas informativas de este sitio web.












2014/02/12

«Horizonte 2020 explicado às PME»



«Horizonte 2020 explicado às PME»
Programa Operacional Temático Factores de Competitividade -
COMPETE (Lisboa. Portugal)



La AEP - Associação Empresarial de Portugal organiza un seminario para exponer a las pequeñas y medianas empresas en qué consiste este concepto europeo que a partir de ahora van, vamos, a escuchar con mucha frecuencia: Horizonte 2020. El artículo nos da una idea del contenido del seminario.












2014/02/11

«Criação do Programa PME Digital, incluído na Agenda Digital e Tecnológica dos Açores»



«Governo cria programa PME Digital»
Jornal Diario (Fenais da Luz, Açores. Portugal)
Foto: Governo dos Açores



PME Digital es un programa del gobierno de Portugal para las Azores, cuya finalidad es estimular la creación y el desarrollo de pequeñas empresas con vocación hacia el mercado digital. Su contexto más amplio es la evolución y cambio hacia una sociedad del conocimiento y la innovación, explica el artículo.












2014/02/10

Coleção de mensagens sobre inovação de 4 a 7 de fevereiro



Ana Brasil com Joana Bourgard, «Leitão à Bairrada pelo chef Ricardo Costa. O chef do The Yeatman executa a sua interpretação de um dos mais famosos pratos portugueses»


Camilo Rocha, «Evernote quer manter espírito de startup»


Correio do Estado, «Fim da neutralidade da internet põe em risco a inovação»


Expresso, «Três estadistas africanos avisam que inovação no continente só chegará com democracia total»


Globalquality Consulting, «El turismo bate records, ¿y la innovación turística?»


ICom - Instituto Comunitário Grande Florianópolis, «Gerente executivo do ICom (Instituto Comunitário Grande Florianópolis) fala sobre gestão de ONGs, apoio a investidores sociais e inovação social»


Isabelle Hennebelle, «Rebondir avec l’innovation frugale»


João Varella, «Transparência Já»


Julián Domínguez Rivera, «Prioridad a la innovación»


Mike Masnick, «Innovation Asymmetry: Why The Copyright Industry Always Freaks Out About New Technologies»


Notícias ao Minuto, «Primeiro-Ministro Cabo Verde propõe cimeira africana sobre inovação»


OECD, «National Intellectual Property Systems, Innovation and Economic Development with perspectives on Colombia and Indonesia»


Paco Corma, «Innovación basada en nuevos conocimientos»


Rosemary L. Ripley, «Innovate like a startup: what big brands can learn from small companies. Lessons from the beer and soda industries on why the survival of big brands depends on innovation»


Rural Agri-Innovation Network (RAIN), «The Rural Agri-Innovation Network (RAIN) today announced the upcoming RAIN Symposium February 7th & 8th in Bruce Mines, Ontario»


Ruth Simón Fermosell, «Nuevo centro de innovación en el Caribe para promover los negocios verdes y las energías renovables»


Sandra Cunha, «Afinal para que queremos a Ciência?»


Solène Méric, «L’innovation en viticulture: le triple défi de la compétitivité économique, environnementale et qualitative»


Up Conferences, «Navi Radjou: “Convertir l’adversité en opportunité et faire mieux avec moins de ressources”»


VotreArgent, «Estée Lauder: un nouveau directeur de l’innovation»






2014/02/07

«Três estadistas africanos avisam que inovação no continente só chegará com democracia total»



Aires de innovación desde el continente africano, ahora en materia de organización política de los Estados. Se une a las noticias en materia de tecnología, educación y relaciones internacionales.




«Três estadistas africanos avisam que inovação no continente só chegará com democracia total»

«Cidade da Praia, 05 fev (Lusa) - Os presidentes de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, e do Ruanda, Paul Kagamé, e o ex-chefe do Estado de Moçambique Joaquim Chissano consideraram hoje que a democratização total em África é essencial para a inovação no continente e "africanização" do mundo.

»Esta ideia foi defendida pelos três estadistas, durante uma "sessão especial" de quase três horas enquadrada na Cimeira sobre Inovação em África, intitulada "Liderando a Inovação: Conversas com Presidentes", que decorre desde terça-feira na Cidade da Praia.

»As apostas na inovação e transformação em África, nas melhores práticas na criação de políticas de investigação, na educação e no empreendedorismo e ainda formas de apoiar a criatividade foram, em síntese, os temas abordados por Fonseca, Kagamé e Chissano, que foram unânimes de que há ainda muito a fazer.»



Expresso







2014/02/06

«Afinal para que queremos a Ciência?»



La desinversión vía recortes en materia de ciencia y tecnología en el vecino país de Portugal,, en la enseñanza superior y entidades de investigación relacionadas, en medio de un desempleo y un estancamiento del desarrollo es uno de los temas más frecuentes en tribunas de opinión. Hoy el blog trae este artículo de una política portuguesa, coordinadora del partido Bloco de Esquerda.

Cabe preguntar, aunque conocemos la respuesta, si no habrán sido también la ciencia, la tecnología y la enseñanza superior causas o coadyuvantes de la crisis. Buen momento para recortar todo aquello que debe ser recortado, a la luz de sus malos frutos, y emprender caminos de futuro.




«Afinal para que queremos a Ciência?»

«Enquanto noutros países a estratégia passa por apostar na formação superior e na ciência, em Portugal remete-se a geração mais qualificada de sempre para o limbo do desemprego ou da emigração e a ciência para um lugar residual na estratégia de desenvolvimento do país.

»O ano de 2014 trouxe consigo o pior dos cenários para a ciência em Portugal. Num país onde apenas nas últimas décadas se assistiu a um desenvolvimento científico capaz de nos colocar ao nível dos países mais desenvolvidos neste campo, confirmou-se agora que a ciência e a formação científica são afinal, nada mais, do que luxos. Uma espécie de gorduras daquelas onde é preciso cortar.

»Os cortes no financiamento ao ensino superior e às universidades já vinham revelando o que pensa este governo da formação superior e do desenvolvimento da ciência. Nada diferente do desdém que demonstra pelos outros níveis de ensino e especialmente pela Escola Pública. A educação do povo é coisa que não interessa a este governo.

»O desinvestimento na investigação científica em Portugal atingiu o auge com os cortes verificados este ano na atribuição de bolsas de doutoramento e pós-doutoramento da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT). Os resultados dos concursos individuais a bolsas da FCT anunciados no início de Janeiro revelaram uma redução de 65% na atribuição de bolsas de pós-doutoramento e de 40% nas bolsas de doutoramento.

»Enquanto noutros países a estratégia passa por apostar na formação superior e na ciência, em Portugal remete-se a geração mais qualificada de sempre para o limbo do desemprego ou da emigração e a ciência para um lugar residual na estratégia de desenvolvimento do país.

»Não se trata aqui de considerar as bolsas de formação superior como boias de salvamento ou protótipos de emprego. Qualquer candidato às bolsas FCT tem plena consciência de que não se trata de emprego. Se não tivesse, rapidamente a precariedade ou a inexistência de segurança no desemprego revelariam a realidade. O objetivo destas bolsas passa por permitir aceder, a quem sem elas nunca teria essa hipótese, a uma formação superior de alta qualidade e de desenvolver as suas capacidades contribuindo para o desenvolvimento e competitividade do país. E todo este trabalho de excelência que tantas vezes tem colocado Portugal na vanguarda do avanço científico e tecnológico mundial tem sido desenvolvido precisamente por bolseiros tantas vezes em condições precárias e adversas. Perder este potencial é votar o país à pobreza da ignorância.

»Mas esta política de cortes cegos, não tem consequências apenas na vida de milhares dos mais qualificados cientistas do país. Fragiliza também o funcionamento das instituições de I&D e a continuidade de milhares de projetos de investigação de excelência. Perdemos todos.

»Quem encara o investimento feito na formação superior e no desenvolvimento da ciência como mera despesa e dele tem uma ótica meramente mercantilista não compreende que o retorno é infinitamente decisivo numa estratégia de afirmação do país no contexto internacional. Não apenas por via do aumento do número de doutorados e pós doutorados mas especialmente pela elevação do nível de conhecimento que proporciona, pela projeção internacional que favorece e pelo desenvolvimento económico, social e cultural que promove. A opção de remeter para as empresas e os mercados o ónus do desenvolvimento científico do país revela que quem a defende não sabe o que é e para que serve a ciência. Deixar o desenvolvimento científico do país ao comando das necessidades dos mercados conduz a uma ciência coxa porque seletiva e moribunda porque conduzida com fins unicamente instrumentais. A inovação e a criatividade deixam de ter lugar neste modelo. O valor do conhecimento pelo conhecimento e o amor pela ciência, mote de qualquer projeto de investigação não tem lugar nesta conceção mercantilista da produção científica.

»Sabemos bem que todos estes cortes na ciência e na formação superior enformam uma ideologia adversa a uma sociedade justa e igualitária e que o desenvolvimento da ciência e do conhecimento são alvos a abater por quem já demonstrou saber que uma das melhores armas de subjugação dos povos é a ignorância. Continuaremos a combater esta ideologia e a lutar pela ciência, pelas pessoas, pelo país.»



Esquerda.net, Sandra Cunha, Dirigente do Bloco de Esquerda. Socióloga.







2014/02/05

«Leitão à Bairrada pelo chef Ricardo Costa. O chef do The Yeatman executa a sua interpretação de um dos mais famosos pratos portugueses»



Recrear un plato de la cultura gastronómica tradicional, ¿cómo lo valora el público? ¿Innovación? ¿Actualización?...




«Leitão à Bairrada pelo chef Ricardo Costa. O chef do The Yeatman executa a sua interpretação de um dos mais famosos pratos portugueses»

«Para se comer o melhor Leitão à Bairrada, há que ir até àquela localidade? Depende. Se for um turista acomodado no hotel The Yeatman, em Vila Nova de Gaia, talvez não perceba o suficiente de gastronomia portuguesa para se lançar em busca de um dos leitões mais famosos de Portugal. É por isso que na carta do restaurante consta uma versão requintada deste prato regional. “Temos muitos clientes estrangeiros e é importante dar a conhecer esses sabores típicos”, defende o chef reconhecido com uma estrela Michelin.

»No entanto, a divulgação da tradição portuguesa de bem comer não pode ser feita sem dar uma reviravolta ao prato. Pelo menos, no contexto do "fine dining". Até porque, como Ricardo Costa afirma, “é mais fácil a aceitação de um prato de leitão feito por nós, com as nossas técnicas e ingredientes que têm um resultado final diferente”.

»Na bela sala do The Yeatman, o Leitão à Bairrada é servido com polenta e cogumelos. E, se bem que os fungos sejam nacionais, qualquer semelhança desta apresentação com a tradição da Bairrada é pura coincidência. O chef apresenta-a como uma “versão melhorada”, mas, aos mais acérrimos defensores do “à moda antiga”, diremos apenas que é uma inovação.»



life&stylegastronomia, Público, Ana Brasil com Joana Bourgard







2014/02/04

«Primeiro-Ministro Cabo Verde propõe cimeira africana sobre inovação»



El horizonte de esta innovación es la idea renovada de unir fuerzas, en esta ocasión, entre países y con el aliciente para los protagonistas, y el atractivo para los espectadores, de que se trata de la primera cumbre de innovación en entre países del continente africano.




«Primeiro-Ministro Cabo Verde propõe cimeira africana sobre inovação»

«O primeiro-ministro de Cabo Verde propôs hoje a realização de uma cimeira de chefes de Estado e de Governo da União Africana (UA) totalmente dedicada à Inovação no continente, tendo em vista o horizonte de 2050.

»José Maria Neves, que falava no encerramento da sessão da abertura da Cimeira Sobre Inovação em África, que se prolonga até quinta-feira na Cidade da Praia, sugeriu que o encontro visará aprovar uma Agenda de Desenvolvimento “capaz de catalisar” a transformação num continente próspero em 2050.

»“Só numa perspetiva integrada e de unidade potenciadora das capacidades e recursos nacionais, sub-regionais e continentais e indutora de programas complementares, articulados e integrados na inovação, crescimento e competitividade, África poderá transformar-se numa potência económica e em fonte de criação e inovação”, afirmou.

»Para José Maria Neves, África “não pode ficar de fora” do processo de inovação, sob pena de “não superar, com a velocidade desejável” e “com a sustentabilidade necessária”, os condicionalismos da marginalidade e da dependência económica e anda falhar a entrada no círculo vicioso do crescimento e do desenvolvimento.

»Segundo o chefe do Governo cabo-verdiano, os grandes desafios são de vária ordem, entre eles a paz e estabilidade, integração e unidade da África, crescimento económico, promoção de emprego, aumento da produtividade e melhoria da competitividade, da democracia, liberdades, direitos e garantias dos cidadãos, do Estado de Direito, combate à pobreza e desigualdades e também de desenvolvimento.

»“Estes desafios demandam da nossa geração de protagonistas africanos, da política, da economia, da sociedade, da cultura e da ciência, que o 'leitmotiv' seja a África em Transformação e que a palavra de ordem seja a inovação”, sublinhou.

»“Graças à inovação, África é, atualmente, um continente mais dinâmico. A performance económica do continente, olhando para os indicadores internacionais e fazendo o balanço comparativo do desempenho da economia mundial, é notável. Mantendo uma perspetiva transformacional, África tem um grande potencial de futuro”, defendeu.

»Nesse sentido, acrescentou, “aderir mais e melhor” ao movimento estimulador da inovação, é “crucial”, o que permitirá “dar forma” às transformações que aguardam o continente africano e “conteúdo” às esperanças do renascimento africano.

»“Sejamos inovadores, cada vez mais inovadores e, consequentemente, transformadores nas empresas, na administração, na educação, e na investigação enquanto países, transformações enquanto África”, pediu José Maria Neves.

»“Inovar para transformar e transformar para o desenvolvimento é a questão que se coloca hoje. Transformar rompendo com o paradigma da gestão da pobreza e do «status quo» e inovar no paradigma da criação da riqueza de base sustentável e socialmente distribuível”, referiu.

»A conferência da Cidade da Praia, promovida por uma pequena empresa cabo-verdiana, a Ihaba - Building Enterprises, liderada por José Brito, antigo ministro dos Negócios Estrangeiros de Cabo Verde, reúne na capital do arquipélago cerca de 250 especialistas em inovação de 30 países africanos.

»Em destaque estão as presenças do Presidente do Ruanda, Paul Kagamé, e os ex-chefes de Estado de Moçambique Joaquim Chissano e de Cabo Verde Pedro Pires.»



Notícias ao Minuto







Coleção de mensagens sobre inovação de 28 a 31 de janeiro


Charles Bezerra, «Cultura e inovação»


Diário Digital, «Arquiteto britânico Kenneth Frampton vai dar conferências no Porto e em Lisboa»


DirectInfo, «Tunisie – L’Artisanat à Kebili: Problème de commercialisation et manque d’innovation»


EcoPlus TV, «L’innovation sociale au coeur des élections municipales, rencontre avec NKM à La Ruche»


El País, «CPA Innovation convocó a expertos para disertar sobre creatividad»


Eugene Ivanov, «What Dancing Can Teach Us about Innovation»


Gabriela Stripoli, «Líderes de tecnologia pensam inovação de maneira errada, aponta fundador do Twitter. Jack Dorsey critica o uso desmedido dos termos “tecnologia” e “inovação” e dispara que líderes de tecnologia tendem a focar em detalhes, esquecendo-se do macro do negócio»


Globe Small Business, from The Globe and Mail, «Book Excerpt. Shifting your focus to the 'less fun' side of innovation. From Beyond the Idea: How to Execute Innovation in Any Organization by Vijay Govindarajan and Chris Trimble»


Jocelyn Atkinson and Michael Graber, «The Role of Play in Innovation»


Josemil Arruda, «Com proposta de inovação, Showtec 2014 recebe 13 mil pessoas em três dias»


La Voix du Nord, «Un dispositif unique en France: des apprentis recherche pour favoriser l’innovation dans les PME»


LOCAL.PT, «Jornadas Internacionais Online de Educação, Tecnologia e Inovação»


Lourdes Zambrano, «Desairan innovacion empresas de América Latina»


Luis Carlos Valdés de León, «Falta cultura de la innovación en empresarios. En La Laguna no es conceptualizada como una forma de recibir apoyos, ya que la consideran una necesidad que tienen que resolver, cuando instancias federales como ProMéxico y Conacyt, otorgan recursos»


Noticias ao minuto, «Portugueses participam em criação de janela inteligente»


Paula Urien, «Una jornada para instalar la cultura de la innovación. El Banco Galicia implementó un proceso para generar ideas con sus empleados»


Rafael Romer, «Enterprise Precinct and Innovation Campus (EPIC), o hub de inovação que surgiu após um terremoto»


Sid Peimer, «How innovation nearly killed LEGO»


VOA Português, «Cabo Verde acolhe 1.ª Cimeira sobre a Inovação em África»


Yann Gourvennec, «10 Mythes De L’innovation Mis En Pièces Par Scott Berkun»